Senha
Esquecí minha senha
 
Bambas
Edil Pacheco de Maragogipe para o mundo

Compositor. Cantor. Instrumentista.Filho de Antonio Pacheco e Maria Lúcia de Jesus.Nasceu em Maragogipe, cidade situada no Recôncavo baiano.Ganhou o primeiro violão do tio José Lessa.Aos 18 anos, mudou-se para Salvador.Trabalhou em padaria, foi bancário e trabalhou em uma empresa de transportes.

Em 1965 mudou-se para a cidade de Palmas. A partir do ano de 1987 foi responsável pela edição do evento "Dia do Samba na Bahia", no qual homenageou vários compositores e intérpretes.Em 1963 participou do grupo musical Função. Por essa época conheceu os poetas Luiz Galvão e Cid Seixas e os músicos e compositores Moraes Moreira, Ederaldo Gentil, Tião Motorista, Celeste, Alcyvando Luz e Batatinha.

Em 1965, aos 20 anos, foi convidado pelo compositor Batatinha para acompanhá-lo como violonista no show "Eu sou, tu és, ele é: gente". Por essa época, incentivado por Batatinha compôs "Experiência própria" e "Protetor do samba".

Uma de suas primeiras músicas gravadas foi a toada "Fim de tarde" (c/ Luiz Galvão) em 1969, por Eliana Pittman, que lhe foi apresentada pelo jornalista Fernando Vita. Neste mesmo disco, Eliana Pittman também gravou "Passatempo" (c/ Batatinha e Cid Seixas). Por essa época, participou várias vezes do programa televisivo "Improviso" gravado no Teatro Vila Velha. Devido ao sucesso nacional de "Alô, madrugada" (c/ Ederaldo Gentil), gravada por Jair Rodrigues no início da década de 1970, transferiu-se para o Rio de Janeiro.

No ano de 1972 musicou a peça "A morte de Quincas Berro D'Água", sobre o livro de Jorge Amado, dirigida e adaptada por João Augusto e produzida por Roberto Santana. Neste mesmo ano gravou o compacto duplo "A morte de Quincas Berro D'Água", pela PolyGran, disco no qual foi incluída de sua autoria a faixa-título e no qual pela primeira vez registrou sua voz. As outras músicas da peça eram de autoria de Dorival Caymmi, Gereba e Fernando Lona. Ainda em 1972, Gal Costa interpretou de sua autoria "Estamos aí", em parceria com Paulinho Diniz. No ano seguinte, Wilson Simonal gravou "Tristeza" (c/ Carlos Lacerda).

Em 1975, no LP "A voz do samba", Alcione gravou duas composições suas: "Aruandê" (c/ Nélson Rufino) e "Até o dia de São Nunca", em parceria com Paulinho Diniz. Neste mesmo ano, seu parceiro Ederaldo Gentil lançou o disco "Samba, canto livre de um povo", pela gravadora Chantecler, com a faixa-título de parceria de ambos. Ainda em 1975, junto a Batatinha e Ederaldo Gentil montou o show "O samba nasceu na Bahia", apresentado no Teatro Senac, no bairro do Pelourinho. No ano seguinte, Fafá de Belém interpretou "Siriê" (c/ Paulo Diniz). Alcione interpretou de sua autoria a música "Lua menina" (c/ Paulinho Diniz). Ainda em 1976, no disco "Pequenino", de Ederaldo Gentil, foi incluída uma composição de ambos: "Manhã de um novo dia".

No ano de 1977, lançou seu primeiro LP, "Pedras afiadas", pela gravadora Polydor, no qual interpretou "Abra a gaiola", "Coração vadio", "Há muito tempo", "Nau dos aflitos" e "Lua menina", todas em parceria com Paulinho Diniz.

Em 1979, no LP "Esperança", Clara Nunes incluiu "Apenas um adeus" (c/ Roque Ferreira e Paulinho Diniz). No ano seguinte, Leci Brandão incluiu de sua autoria "Catarerê" (c/ Paulinho Diniz), no disco "Essa tal criatura", lançado pela gravadora Polydor.

Clara Nunes, em 1981, interpretou "Coração valente" (c/ Roque Ferreira) e, no ano seguinte, "Ijexá", no disco "Nação". Com o sucesso desta música, começou a ser requisitado por vários intérpretes, como Roberto Ribeiro, Elza Soares, Beth Carvalho ("Encanto do Gantois"), Neguinho da Beija-Flor, Agepê ("Lendas da estrela do mar"e "Ilê aiyê"), Gilberto Gil ("Ijexá"), Zezé Motta ("Carnaval de rua"), entre outros.

Em 1983, João Nogueira lançou pela RCA o LP "Bem transado", no qual incluiu "Se segura, segurança", de autoria sua em parceria com João Nogueira e Dalmo Castelo. No ano seguinte, gravou o segundo disco "Estamos aí", pela PolyGram.

Em 1985, a cantora Alcione gravou pela RCA Victor o LP "Fogo da vida", no qual incluiu "Ara-Ketu" (c/ Paulo César Pinheiro). Neste mesmo ano, Agepê interpretou "Na paz do Congá, composição sua em parceria com Canarinho.

Em 1987 Alcione interpretou no disco "Nosso nome: resistência", outra composição sua em parceria com Paulo César Pinheiro, "Afreketê". Neste mesmo ano, Milena, pela gravadora 3M lançou o LP "O gosto do amor", disco no qual interpretou "Roda Bahia" (c/ Paulo César Pinheiro). A seguir, em 1988, juntamente com Paulo César Pinheiro, produziu um LP em homenagem aos blocos afros da Bahia. Este disco, "Afro e Afoxés da Bahia", só com músicas da dupla, contou com a participação de vários convidados, como Lazzo ('Malê-Debalê'), Gilberto Gil ('Oju-Obá'), Margareth Menezes ('Olodum'), Luiz Caldas ('Badauê'), Paulinho Feijão ('Ilê-Ayê'), Gilson Nascimento ('Afreketê'), Paulinho Araketo ('Ara-Ketu'), Tribo Nação Ijexá ('Ijexá'), Paulo César Pinheiro na faixa "Olori" e o próprio Edil Pacheco na faixa "Muzenza". No ano seguinte, o disco foi relançado em CD pela mesma gravadora.

Em 1991, no LP "Intérprete", Beth Carvalho incluiu "Traz a vida pro sereno", em parceria com Paulo César Pinheiro.

No ano de 1996, pela gravadora Velas, lançou o CD "Dom de passarinho", no qual incluiu diversas composições de sua autoria: "Dom de passarinho" (c/ Paulo César Pinheiro), "Paz de Xangô" (c/ Capinam), "Jeito danado" (c/ Luiz Melodia), "Forró em Cachoeira" (c/ Paulinho Boca de Cantor), "Peneira e tempero" (c/ Paulo César Pinheiro) e "Tristeza", em parceria com Carlos Lacerda. Neste mesmo ano, Luiz Caldas interpretou de sua autoria "Dengo".

Em 1998, participou do CD "Diplomacia", de Batatinha. Neste disco, lançado pela EMI interpretou, ao lado de Batatinha, Nélson Rufino, Valmir Lima e Riachão, a faixa "De revólver, não". Neste mesmo ano, João Nogueira lançou o CD "João de todos os sambas", no qual incluiu "Caminha, Caymmi" (Edil Pacheco, João Nogueira e Paulo César Pinheiro) e Luiz Melodia gravou uma parceria de ambos, "Jeito danado".

Em 1999 fez a produção do CD "Pérolas finas" em homenagem ao parceiro e amigo Ederaldo Gentil. Neste disco, ao lado de vários convidados como Paulo César Pinheiro, João Nogueira, Paulinho Boca de Cantor, Pepeu Gomes, Gilberto Gil, Elza Soares e Beth Carvalho, interpretou a faixa "Maria da Graça".

No ano de 2002 produziu, em parceria com Paulinho Boca de Cantor, o disco "Do lundu ao axé - Bahia de todas as músicas", disco no qual interpretou em dueto com Paulinho Boca de Cantor a faixa "Isto é bom" de autoria de Xisto Bahia, cantor e compositor do início do século XIX. Deste disco, também participaram Daniela Mercury, Lazzo, Moraes Moreira e Carlinhos Brown, entre outros.

Em 2003 lançou o CD "O samba me pegou" no qual incluiu, entre outras, "Meu coração sabe gostar" (c/ Capinan), "Começo de caso" (c/ Paulo César Pinheiro), "Amor por decreto" (c/ Jorge Portugal), "Estrela azul" (c/ Ildásio Tavares), "Caçuá" (c/ Paulo César Pinheiro) e regravou "De amor é bom" (c/ João Nogueira), "Samba do grande amor" (Chico Buarque) e "O dengo que a nega tem", de Dorival Caymmi. Neste mesmo ano, Mart'nália interpretou "Ijexá" no CD "Um ser de luz - saudação à Clara Nunes".

Em 2004 sua composição "Se segura, segurança" (c/ Dalmo Castelo e João Nogueira), foi incluída no CD "Passeador de palavras", de Dalmo Castello.

Tem mais de 250 composições gravadas por diversos artistas, entre eles, Luís Vieira, Baby do Brasil, Moraes Moreira, Leci Brandão, Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar, Virginia Rodrigues, Elza Soares e Luiz Caldas na composição "Dengo".

Entre seus parceiros destacam-se os poetas Paulo César Pinheiro, Cid Seixas, Luiz Galvão, Capinam e Ildásio Tavares, Béu Machado, Cardan Dantas e Jairo Simões,Moraes Moreira e João Nogueira, com quem compôs o sucesso "De amor é bom

Discografia

A lenda da estrela do mar (c/ Paulo César Pinheiro) Abra a gaiola (c/ Paulo Diniz) Afreketê (c/ Paulo César Pinheiro) Alô, madrugada (c/ Ederaldo Gentil) Amor por decreto (c/ Jorge Portugal) Apenas um adeus (c/ Roque Ferreira e Paulinho Diniz) Ara-ketu (c/ Paulo César Pinheiro) Aruandê (c/ Nélson Rufino) Até o dia de São Nunca (c/ Paulinho Diniz) Badauê (c/ Paulo César Pinheiro) Bahia morena (c/ João Nogueira) Berequetê (c/ Ederaldo Gentil) Caçuá (c/ Paulo César Pinheiro) Caminha, Caymmi (c/ João Nogueira e Paulo César Pinheiro) Começo de caso (c/ Paulo César Pinheiro) Conversa de serpente (c/ Paulo César Pinheiro) Cantador de harmonia Carnaval de rua (c/ Paulo César Pinheiro) Catarerê (c/ Paulinho Diniz) Coração vadio (c/ Paulo Diniz) Coração valente (c/ Roque Ferreira) De amor é bom (c/ João Nogueira) De passo a passo (c/ Paulo Diniz) Dengo Dom de passarinho (c/ Paulo César Pinheiro) É preciso ser rocha (c/ Roque Ferreira) Encanto do Gantois (c/ Moraes Moreira) Esquentando o terreirão (c/ Sérgio Matos) Esquentei meu coração (c/ Cardan Dantas) Estrela azul (c/ Ildásio Tavares) Estamos aí (c/ Paulinho Diniz) Eu quero São João (c/ Lacyr Viana) Experiência própria Fim de tarde (c/ Luiz Galvão) "Foia" de amor (c/ João Nogueira) Forró em Cachoeira (c/ Paulinho Boca de Cantor) Há muito tempo (c/ Paulo Diniz) Ijexá Ilê Aiyê (c/ Paulo César Pinheiro) Jeito danado (c/ Luiz Melodia) Lua menina (c/ Paulinho Diniz) Mais um dia (c/ Paulo Diniz) Malê-debalê (c/ Paulo César Pinheiro) Manhã de um novo dia (c/ Ederaldo Gentil) Me achei de novo Mel da Bahia (c/ João Nogueira) Meu coração sabe gostar (c/ Capinam) Meu grande pecado (c/ Roque Ferreira) Muzenza (c/ Paulo César Pinheiro) Na paz do congá (c/ Canarinho) Nau dos aflitos (c/ Paulo Diniz) Oceano de paz (c/ Ederaldo Gentil) Oju-Obá (c/ Paulo César Pinheiro) Olodum (c/ Paulo César Pinheiro) Olori (c/ Paulo César Pinheiro) Ouro em pó (c/ Paulo Diniz) Passatempo (c/ Batatinha e Cid Seixas) Paz de Xangô (c/ Capinam) Pedras afiadas Peneira e tempero (c/ Paulo César Pinheiro) Pranto natural (c/ Nélson Rufino) Protetor do samba Roda Bahia (c/ Paulo César Pinheiro) Samba, canto livre de um povo (c/ Ederaldo Gentil) Se segura, segurança (c/ João Nogueira e Dalmo Castello) Siriê (c/ Paulo Diniz) Tomara Deus (c/ Roque Ferreira) Traz a vida pro sereno (c/ Paulo César Pinheiro) Tristeza (c/ Carlos Lacerda)



Mais Fotos

Edil Pacheco toca seu cavaquinho

Edil Pacheco e a santíssima Trindade do Samba


Comentários
# 1  -  tetuliano - popchoppter@hotmail.com   6/11/2009  -  Nota: 8
se posivel min mande augumas fotos sua

# 2  -  Deborah Maria - debbynha_26@hotmail.com   30/11/2009  -  Nota: 10
ola,,
queria saber se no domingo dia 06/12/2009
tem samba no garçia e que horas começa beijus aguardo resposta

# 3  -  diogo - diogosanmartins@hotmail.com   3/12/2009  -  Nota: 10
SOU APAIXONADO PELO SAMBA DA BAHIA E COMECEI A CONHECER UM POUCO DELE APOS OUVIR BETH CARVALHO CANTA O SAMBA DA BAHIA.
QUERIA SABER COMO FAÇO PARA ADQUIRIR MUSICAS DA VELHA GUARDA DO SAMBA DA BAHIA CD, LP, QUALQUER TRABALHO.
AGUARDO RESPOSTA

# 4  -  MARCIA SANTOS FERREIRA - MARCIA_BIOS@HOTMAIL.COM   14/12/2009  -  Nota: 10
SOU LOOOOOOOUUUUCA POR SAMBA ACHO QUE NÃO TEM COISA MELHOR E GENTE VAMOS TRAZER DIOGO NOGUEIRA MAIS VEZES EM SALVADOR.

# 5  -  CELINA RODRIGUES - centroculturalpequenaafrica@uol.com.br   7/6/2010  -  Nota: 10
preciso manter contato com o Edil Pacheco,pois o ministro Juca Ferreira esteve semana passada, aqui no rio danda entrevista a radio EBC , com o Rubem Confete e Dorina, e mandou que procurassemos o Edil,para um projeto do dia nacional do samba, agradeço e aguardo contato.u forte abraço, Celina Rodrigues

# 6  -  WILTON - wildd@bol.com.br   15/6/2010  -  Nota: 10
Quero compar os CDS de Edil Pacheco. Como faço prá consegir? Responad para o email acima

# 7  -  Zeinha Pereira - pefilho@hotmail.com   21/1/2012  -  Nota: 10
Agradeço muito a Edil Pacheco, Paulinho Diniz e ao Velho batatinha pelo apoio que me deram quando cheguei a Salvador. Éramos vizinhos; os caras já sabiam tudo, me emprestaram um bandolim e aí eu passei a aprender com êles. Já eram famosas estrêlas e iluminavam o caminho dos mais novos.
Parabéns, Clube do Samba, pela belíssima matéria.
Se alguém souber por onde anda Paulinho Diniz, favor me avisar.

# 8  -  Walter - waltermoreno_62@yahoo.com.br   9/3/2013  -  Nota: 9
Gostaria de registrar aqui que Edil Pacheco foi parceiro e amigo de Edson Conceicao, autor de Näo Deixe o Samba Morrer. A nota é 9 por ele ter esquecido de fazer esta referencia...

# 9  -  Rolan Dantas Lima - rolanlima@hotmail.com   19/10/2015  -  Nota: 10
Para o amigo Edil Paxheco
É verdadeiro que: "as pedras se encontram". Se um dia pudesse encontra-lo gostaria de lembrar o bom tempo do PPD 583 que chamava PPD 584 "alô Sr.Valente" e com certeza fazer uma bela surpresa ao mostrar-me como compositor e dizer-lhe que você foi o grande inspirador.
Se você responder vou te enviar uma letra só para você criticar.
Tenho um numero de sambas compostos que invejaria grandes compositores.
Ainda guardo o seu primeiro disco que você me deu de presente.
Continuo o mesmo;
Abraços
Rolan


# 10  -  pK2coVbWJ - irlxxjxaz0z@outlook.com   26/10/2015  -  Nota: 6
Texto em avaliação

# 11  -  Bradley - lucas2d44@gmail.com   26/10/2015  -  Nota: 4
Texto em avaliação

# 12  -  Bradley - lucas2d44@gmail.com   26/10/2015  -  Nota: 5
Texto em avaliação

# 13  -  Mark - mark357177@hotmail.com   2/2/2016  -  Nota: 0
Texto em avaliação

# 14  -  Mark - mark3qf527@hotmail.com   12/5/2016  -  Nota: 9
Texto em avaliação

# 15  -  Mark - mark3qf527@hotmail.com   12/5/2016  -  Nota: 5
Texto em avaliação

# 16  -  JimmiXS - jimos4581rt@hotmail.com   8/8/2016  -  Nota: 2
Texto em avaliação

# 17  -  JimmiXS - jimos4581rt@hotmail.com   8/8/2016  -  Nota: 2
Texto em avaliação

# 18  -  JimmiXzSq - jimos45812rt1@hotmail.com   20/5/2017  -  Nota: 1
Texto em avaliação

# 19  -  JimmiNi - jimosa4ccf2@hotmail.com   23/10/2017  -  Nota: 1
Texto em avaliação

# 20  -  Krysmet - kryingept@igf-lr3.com   10/2/2018  -  Nota: 10
Texto em avaliação

# 21  -  kamagra 100mg side effects - apefrect@kamagradxt.com   29/3/2018  -  Nota: 5
Texto em avaliação

# 22  -  DenPiendy - dendulley@wmaill.party   8/4/2018  -  Nota: 7
Texto em avaliação

# 23  -  DenPiendy - dendulley@wmaill.party   14/4/2018  -  Nota: 4
Texto em avaliação

# 24  -  Kevinmes - folisephelix@yahoo.com   5/9/2018  -  Nota: 4
Texto em avaliação

# 25  -  MatEmpaby - matvert@wmaill.site   17/9/2018  -  Nota: 8
Texto em avaliação

Normas para publicação:
As opiniões enviadas estão sujeitas a aprovação. Acusações insultuosas, mensagens com palavrões e comentários em desacordo com o tema proposto não serão publicados
Nome:
E-mail:
Comentário:
Nota:
 
Mais Bambas
  Bambas Imortais São Homenageados no Carnaval 2018
  O Poeta, Professor e Secretário de Cultura
  A Bahia Abraça Walmir Lima o compositor de Ilha de Maré
  Tom e Dito a dupla do Samba da Bahia para o Mundo
  Edson Gomes da Conceição - O compositor do Hino do Samba
  Homenagem a Assis Valente o Maior Compositor Baiano de Todos os Tempos
  Homenagem a Roque Ferreira
  Homenagem a Dorival Caymmi
  Homenagem Nélson Rufino
  Homenagem a Ederaldo Gentil

 
 
   
   
 
2016, Janeiro 21 CLUBE DO SAMBA É UM LIVRO ABERTO NO CARNAVAL DESTE ANO

leia +
2015, Agosto 18 Concar Inscreve Bandas para o Carnaval 2016

leia +
2015, Julho 3 Walmir Lima Recebe Abraço dos Sambistas da Bahia no dia 12/07

leia +
2015, Julho 3 A Bahia Abraça Walmir Lima no Dia 12 de Julho

leia +
2015, Junho 26 FEIJOADA 2 DE JULHO MOVIMENTA CLUBE DO SAMBA

leia +
 
   
   
 
Em relação à reforma da previdência como você se posiciona?




 
     
   
 
Preencha nosso formulário e receba informações diárias do Clube do Samba